Instituto Butantan desenvolve vacina 100% brasileira contra covid-19

O Instituto Butantan anunciou que desenvolveu uma nova fórmula imunizante para combater o coronavírus e pediu autorização à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para iniciar os testes clínicos com voluntários.

A autorização é para a realização das fases 1 e 2 dos estudos, para analisar a segurança e capacidade de promover resposta imune. Essas fases são feitas com 1800 pessoas, enquanto a terceira fase deve ser testada em 9000 voluntários, para analisar a eficácia da vacina.

O nome da vacina é Butanvac e o Instituto é o principal desenvolvedor, e assim produzirá a maior parte dos imunizantes. Além disso, já é considerada a variante brasileira do vírus, a P1.

Provavelmente os testes irão começar em abril, e a fabricação iniciada em maio, se a ANVISA autorizar. Caso aprove, aproximadamente 40 milhões de doses estarão prontas ainda em julho.

De acordo com o diretor do Instituto Butantan, a Butanvac já foi enviada para outros países na fase pré-clínica. Entre eles, a Índia, onde foram realizados testes feitos em animais que trouxeram resultados excelentes. Também afirmou que, além dos testes da fase 1 no Brasil, o imunizante vai ser testado também no Vietnã e na Tailândia. E, além da demanda nacional, a vacina deverá ir para países de baixa renda.


Entenda as fases de testes da vacina


Todo imunizante deve passar por três fases de testes para comprovar sua eficácia e segurança, para assim ser liberada para uso.

O primeiro passo é fazer o teste em modelos animais e laboratoriais, para verificar se a vacina oferece algum risco para as pessoas e quais são esses riscos. Após isso, segue para o teste em humanos.

A fase 1 avalia a segurança da vacina em um grupo menor de pessoas, e verifica quais as reações adversas causadas. Já a fase 2 (fase exploratória), em que se explora diferentes regimes de tratamento, realiza o teste de diferentes doses da vacina e qual o grupo de pessoas que vão poder se vacinar.

E por último a fase 3, que é a fase confirmatória. Nessa fase é recrutado um grande número de voluntários, e eles são testados tanto com a vacina, quanto com o placebo para confirmar que realmente a vacina é segura e eficaz.

Só após todas essas fases que a ANVISA pode aprovar uma vacina para uso na população.


Fonte: https://www.ictq.com.br/farmacia-clinica/2745-instituto-butantan-desenvolve-vacina-100-brasileira-contra-covid-19

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo