Por que é preciso manter as medidas sanitárias mesmo após ter sido vacinado?

No momento atual, acredita-se que o desejo da maioria das pessoas é poder voltar à normalidade pré-pandemia: abraçando, convivendo socialmente e, claro, saindo às ruas sem a necessidade de máscaras e álcool em gel. No entanto, faz-se necessário compreender que isso só será possível quando a maior parte da população já estiver imunizada, o que não é uma realidade no momento.

Atualmente (29/04/2021), no Brasil, apenas 14% da população recebeu a primeira dose da vacina, enquanto a segunda dose só foi tomada por apenas 6,8% dos brasileiros, segundo dados do Ministério da Saúde. Para se ter uma noção, no caso da vacina do Instituto Butantan – a mais aplicada nos brasileiros – nós apenas poderemos nos considerar seguros quando passarem 15 dias após a vacinação com a segunda dose do imunizante. Porém, ao que os estudos recentes indicam, para que consigamos uma proteção coletiva, pelos menos 70% da população precisa já ter cumprido esse prazo, é o que diz o Keny Colares, infectologista da Escola de Saúde Pública Paulo Marcelo Martins Rodrigues, vinculada à Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa). Portanto, até essa porcentagem ser real, é indispensável a profilaxia.


Mas, o que acontece se, após a aplicação da segunda dose da vacina, as pessoas começarem a não se cuidar?

Para responder essa pergunta, é importante esclarecer que mesmo com o imunizante no corpo, o indivíduo não fica isento de contrair o vírus. A proteção pela Coronavac, por exemplo, tem sua eficácia geral em 50,38%, em casos leves em 78% e 100% eficaz nos casos moderados e graves, ou seja, há 50% de chances de não ser infectado, caso seja infectado, há 78% de chance de apenas sentir sintomas leves, como febre baixa e tosse seca, e 100% de chances de não ser entubado ou não falecer pela doença. Sendo assim, a pessoa tem menos chances de ficar doente mas, em compensação, ela ainda pode ser transmissora da doença

Por esse motivo, se as pessoas não se cuidarem enquanto a maior parte da população ainda corre risco de contrair a doença, a curva de contaminação geral continuará em ascensão e ainda teremos que assistir os noticiários comunicando sobre milhares de mortes todos os dias.


Dessa forma, constata-se que, para ser admissível o retorno à “vida normal” o mais rápido possível, é imprescindível que haja o mesmo cuidado de quando o cidadão ainda não estava vacinado, já que a prevenção vem sendo provada, desde o início, ser a principal medida para o combate da pandemia do Covid-19.


Fontes:

https://butantan.gov.br/noticias/e-preciso-usar-mascara-e-continuar-em-quarentena-apos-tomar-a-vacina

https://coronavirus.saude.mg.gov.br/blog/229-vacinacao-coronavac-astrazeneca-oxford

https://www.saude.ce.gov.br/2021/03/15/cuidados-devem-permanecer-mesmo-apos-vacinacao-orienta-infectologista-da-sesa/

https://www.gov.br/saude/pt-br

13 visualizações0 comentário